aguarde som/imagens

Chove
© Silvia Schmidt



Cai a chuva de mansinho,
Batendo em minha vidraça,
E nela, a Vida que passa,
Passa em mim, devagarinho ...

Em dias assim eu, sem graça,
Sou pássaro encolhidinho
Em meu solitário ninho
Onde não caço e sou caça ...

Não há prá onde fugir
Com tanta chuva a cair,
Com tantas rolantes águas ...

Nesta espera - paciente -
Por luz de sol novamente,
Vou lavando minhas mágoas ...


Silvia Schmidt
Extraído do liivro 'Toques&Choques'
Direitos Autorais Protegidos
Copyright © 2001





Edição Musical : Udo Erwin Franz





" As lágrimas que choro ,
ninguém as vê rolar dentro de mim "
( Florbela Espanca )





Mensagens de Silvia Schmidt

Nossas Poesias

Porão da Humancat
Fala o Internauta

por amor
Sempre que copiar, copie com Amor :
mantenha o nome do Autor.



Design : Moon And Back Graphics

© Soneto lançado na Internet pela PRIMEIRA VEZ

em 24 de fevereiro de 2004